Dança do Leão - História

Embora a China nunca tenha sido um habitat natural para o Leão, mais especificamente para o Leão Asiático, antes bastante comum nas zonas da Ásia Central. A sua introdução e chegada à China estão envoltas em lendas e relatos históricos confusos. Acredita-se que a sua introdução na China possa ter sido durante a Dinastia Han, como tributo ao imperador Zhang (87 A.C.), pelo Rei de Yue Zhi (月氏, reino do Afeganistão, Noroeste Indiano). Como presente e homenagem, o animal às vezes seria levado para exibição pública. Devido à sua raridade e dificuldade de controlo, uma forma de dança ou teatro pode ter nascido das imitações da aparência e o movimento do Leão, como substituição do animal vivo, sendo as crenças míticas e religiosas atribuídas depois. Além disso, os primeiros leões de pedra conhecidos foram esculpidos no início da Dinastia Han Oriental (25 - 220 D.C.), com a introdução do budismo na China antiga. A iconografia do Leão como um animal auspicioso foi favorecida ainda mais com a introdução desta religião, pois é visto como protector e guardião, servindo muitas vezes como suporte para figuras importantes como Manjusuri.

Era também utilizado como símbolo do Estado da Índia Antiga. A consolidação da imagem sobrenatural e natureza protectora do Leão foi aumentando com o crescimento de lendas, muitas associando-o ao Imperador, ao Imperador de Jade e aos deuses Budistas. Todas tinham a característica na qual a representação do Leão conseguia afastar os males. É também importante realçar que a forma de dança com o Leão é mencionada principalmente por dois poetas famosos da dinastia Tang; Li Bai e Bai Juyi, afirmando-se assim a antiguidade desta tradição. No entanto, a dança foi sofrendo uma evolução durante a história, devido às alterações e integração de simbologias diversas na religião popular.

A dança em questão utiliza um dos 4 tipos de Leão, o XingShi (Leão que Acorda), típico do Sul, da zona de Cantão e que se distingue bastante do Leão do Norte. O Leão do Norte assemelha-se muito a um cão de Pequim, que na antiguidade era um animal de estimação imperial e cujo porte distinto levou à designação de Cão Leão.


Existe uma subdivisão para o Leão do Sul; dois dos leões mais populares são o Fo Shan/Fat San (佛山) e He Shan/Hok San (鹤山), sendo o seu nome derivado da região onde foram construídos. Estes leões são utilizados predominantemente por praticantes de Wushu, embora no início a dança do Leão fosse realizada por actores e dançarinos das trupes de ópera locais, utilizados para bênçãos assim como para entretenimento. Ao mesmo tempo foram usados pelos rebeldes anti-Qing para arrecadar dinheiro e passar comunicações secretas.


O Leão do Sul é relativamente novo sendo criado durante a Dinastia Qing. Após a rebelião Taiping, a ópera cantonense foi proibida devido à suspeita de ligações aos movimentos anti-dinásticos. No entanto, a dança do Leão não o foi e passou-se a praticar durante várias actividades e não só no Ano Novo e Festivais. A fim de dissipar a má sorte, malevolência e outros Yin ou energias negativas, era necessária energia e força positiva, Yang. Assim como o dragão foi criado pelos antigos chineses usando um totem de animais diferentes, assim também foi com o Leão do Sul a fim de alcançar este objectivo. Foram feitas no Leão mudanças significativas, para mantê-lo como figura auspiciosa e divina, capaz de dissipar o infortúnio, utilizando elementos de YinYang, Taoísmo, ópera, Budismo e símbolos marciais na criação do traje.

O Leão chinês baseou-se em animais celestes. Estes incluem o Dragão, a Fénix, o Unicórnio Chinês (Qi Lin) e a Tartaruga com a cobra enrolada em volta dele. Do dragão, estão representados sua grande testa saliente e barba, símbolo de sabedoria na cultura chinesa. Do unicórnio chinês, temos as orelhas e cauda, assim como a carapaça da tartaruga para a protuberância na parte de trás da cabeça do Leão (representada com um padrão de escudo), a cobra foi representada como a espinha dorsal do Leão (visto como uma longa coluna de pele no corpo), e da Fénix obtemos os olhos e o chifre.

 

Além disso, também o tigre branco é representado pelos dentes na boca do Leão. Temos assim a representação dos 4 guardiões das 4 direcções, das 4 estações, dos 5 elementos e das 5 cores. A crença é que assim se dota o Leão com as características auspiciosas de cada um desses animais. O dragão representa o masculino e uma força Yang forte sendo capaz de ascender aos céus. A Fénix tem um carácter Yin forte, que traz a benevolência, virtude e paz para o Leão. A Tartaruga traz as características de longevidade, prosperidade e protecção. A cobra traz as qualidades de renascimento, renovação e cura. O Unicórnio oferece protecção contra flechas envenenadas e é dito que aparece sempre que um grande sábio nasce ou está prestes a passar. Finalmente, acredita-se que o tigre é capaz de devorar maus espíritos, símbolo de coragem e ferocidade.

  • Facebook Reflexão
  • Reflexão YouTube

Perfil de Facebook

Canal YMAA Portugal

Associação de Artes Marciais Yang Portugal

 

Travessa da Ordem Militar do Hospital

nº7 - 4º Dto

Falagueira

2700-626 Amadora

 

E-mail: info.aamyp@gmail.com